Mais de 2.000 políticos eleitos em 2012 recebiam Bolsa Família ilegalmente. A legislação veda que ocupantes de cargos públicos recebam recursos do Bolsa Família – o que é desnecessário porque nenhum deles se encaixaria nos critérios de renda do programa.
O Ministério do Desenvolvimento Social admitiu hoje que após o cruzamento de dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com a lista de beneficiários do programa e encontrou 2.168 políticos entre vereadores, vice-prefeitos e prefeitos recebendo irregularmente a bolas família. O prejuízo estimado é de 330 000 reais por mês. Os benefícios foram cancelados e os políticos terão de devolver os recursos.
É muita cara de pau, não é mesmo?